Rua Afonso Pena, 89 - Farol |  tavares.executivo@acadeal.com.br | 82 3435-1305

O crescimento nominal no mês de julho foi de +6,7% em relação ao mês anterior e de +6,16% frente a julho de 2019. Já o período de janeiro a julho, também em termos nominais, acumulou crescimento de + 2,87% na comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados fazem parte da pesquisa mensal da Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores, apurada pela FIA (Fundação Instituto de Administração) com um grupo representativo de empresas.

 

“O setor atacadista e distribuidor encerrou o primeiro semestre do ano com um crescimento de 2,20% no faturamento. Em julho, mantivemos o bom desempenho. Durante este ano de grandes desafios, o varejo de vizinhança mostrou sua força e cresceu, destacando-se como canal de compras preferencial do consumidor pela proximidade, conveniência e segurança. E nosso setor cumpriu brilhantemente seu papel, não deixando de abastecer o varejo independente um dia sequer, o que contribuiu para manter o pequeno varejo em pleno funcionamento. Essa postura garantiu os bons resultados que estamos colhendo, apesar do isolamento social e dos efeitos negativos da pandemia para o setor produtivo como um todo”, avalia o presidente da ABAD, Emerson Luiz Destro.

Apesar dos números positivos do setor, o presidente da ABAD considera fundamental que o governo continue a adotar medidas para mitigar a magnitude das perdas sofridas pelo conjunto da economia e também proteger o país de solavancos econômicos futuros. “Por isso apoiamos a reforma tributária que está em gestação no Congresso e temos contribuído para o debate que irá trazer as melhores soluções, levando ao conhecimento dos parlamentares estudos e análises realizadas por especialistas.”

As expectativas para o segundo semestre seguem otimistas. “O gradual retorno às atividades econômicas com o previsto afrouxamento do isolamento social deve ajudar a recompor o mercado de trabalho e impulsionar o consumo, que naturalmente se eleva no período do fim do ano, o que nos permite pensar em fechar 2020 com crescimento em torno de 2%”, afirma Emerson.

Em termos deflacionados, o setor apresentou em julho avanço de +6,31% na comparação com o mês de junho e de +3,76 na comparação com o mesmo mês de 2019. O resultado deflacionado acumulado no ano foi de -0,02% — na prática, um número que indica estabilidade (veja quadro abaixo).

Tabela

Faturamento – Período de análise:

Julho – 2020

Nominal Real
MÊS X MÊS ANTERIOR +6,70% +6,31%
MÊS X MESMO MÊS DO ANO ANTERIOR +6,16% +3,76%
ACUMULADO NO ANO* +2,87% -0,02%

*em relação ao mesmo período do ano anterior

Fonte: Banco de Dados ABAD/FIA

 

Rua Afonso Pena, 89 - Farol - Maceió, Alagoas  |  (82) 3435-1305 - 99948-0154  | tavares.executivo@acadeal.com.br